comunicados
-
Vasco Morais Soares (1940-2018)
06.06.2018
Nesta semana, em dois dias sucessivos, faleceram dois colegas que tiveram um papel importante em diversas estruturas associativas dos arquitectos.
Um papel que começou ainda na Associação dos Arquitectos Portugueses e em todo o processo que levou à sua transformação na actual Ordem de cuja fundação estamos neste ano a comemorar o vigésimo aniversário.
Foram anos de muitos debates, em que toda a classe discutiu as melhores formas para defender direitos profissionais que, contra a sua vontade, se mantiveram longos anos no espartilho de um sindicato corporativista. Foi neste contexto que, em 1976, nasceu a Associação dos Arquitectos que posteriormente conseguiu assegurar alguns Direitos Públicos mas que sempre lutou para ser reconhecida como Ordem.
Foi uma luta de muitos, e entre eles, Vasco Morais Soares e Luis Vassalo Rosa, agora desaparecidos, estiveram sempre presentes, desempenhando diversos cargos em sucessivas direcções.
De tendências políticas muito diferentes, afrontando-se por vezes em listas de distintas opiniões e programas, sempre souberam colocar acima dessas diferenças a procura das soluções mais ajustadas para a classe.
Ambos desde há alguns anos já afastados dos órgãos directivos, Vassalo Rosa mantinha-se ainda em funções como Provedor da Arquitectura, tarefa que a nosso pedido aceitou prolongar para além do prazo a que se tinha comprometido, e, por inerência fazia ainda parte do conselho editorial do Jornal Arquitectos.
Um cargo que, mais uma vez, desempenhou de forma exemplar, com uma notável capacidade para fazer o enquadramento e ter uma visão global das questões que lhe eram colocadas.

José Manuel Pedreirinho
Presidente da Ordem dos Arquitectos


Em 2014, aquando da outorga de título de Membro Honorário, a deliberação do Conselho Directivo Nacional justificava a outorga do título a Vasco Morais Soares e a mais quatro arquitectos "(…) pelo reconhecimento de uma generosa e continuada actividade associativa, desde a Associação dos Arquitectos Portugueses até à Ordem dos Arquitectos. Os nomeados estiveram presentes no momento da consagração do estatuto de Associação Pública conferido à AAP em 1988 e promoveram o referendo em que os associados votaram a designação de Ordem e o novo estatuto, que veio a ser publicado em 1998. O seu desempenho em cargos dirigentes da organização profissional criou efectivas condições de possibilidade de transformar a AAP em OA.”.

Vasco Morais Soares (Porto, 1940)
Entre 1975 e 2000, assume funções directivas na Associação de Arquitectos Portugueses, tendo sido Presidente do Conselho Directivo Regional do Norte no triénio 1987-1989, depois de ter integrado as direcções dos quatro mandatos anteriores.
Foi Vice-Presidente do Conselho Directivo Nacional da Associação dos Arquitectos Portugueses, no mandato 1990/1992. Foi eleito Vice-Presidente da Junta Directiva do CIANA – Consejo Ibérico Americano de Associaciones Nacionales de Arquitectos, em Março de 1991 e participou no V Encontro Sobre Arquitectos Ibero Americanos, onde apresentou a comunicação “A estética dos edifícios e dos sítios”, em Março de 1991
Destaca-se o facto de ter sido, no mandato 1993-1995, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral que coordenou a revisão estatutária e organizou o referendo à classe no que concerne a designação de “Ordem” e a votação do seu Estatuto.
Forma-se em arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto em 1971. Entre 1971 e 1975, trabalha no Gabinete de Obras Públicas de Luanda, onde desenvolve projectos de Arquitectura e Urbanismo. Regressado a Portugal, dá continuidade como profissional liberal ao gabinete de seu pai, entretanto falecido.

A Ordem dos Arquitectos lamenta profundamente a sua morte a apresenta as maiores condolências à sua família e amigos.


Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

mais

 

OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA