agenda
-
Lançamento do Manual Técnico PLADUR® e inauguração da exposição
26.11.2018
4 de Dezembro
17h30

Exposição
de 4 a 18 de Dezembro
das 10h às 18h


A Pladur®, a marca líder há 40 anos e precursora da instalação da placa de gesso laminado em Espanha e Portugal, desenvolveu-se como empresa fabricante de sistemas construtivos de alta qualidade à base de gesso natural, que cumprem os mais elevados requisitos regula­mentares através dos resultados obtidos em rigorosos ensaios, de acordo com as várias exigências técnicas: resistência mecânica, resistência ao fogo, isolamento e acondicionamento acústico e isolamento térmico.

Fruto de um extenso trabalho técnico foi possível compilar toda a informação inerente a cada um dos sistemas de tectos, forras ou divisórias em placa de gesso laminado, num único documento – o Manual Técnico Pladur®. Neste livro, totalmente em português, poder-se-á encontrar toda a informação escrita e desenhada de cada sistema construtivo, tornando-se assim numa importante e útil ferramenta de trabalho que será certamente uma referência técnica para todos os projectistas de Portugal.

A Pladur® convida assim todos(as) Arquitectos(as) a assistir ao lançamento do seu novo Manual Técnico no próximo dia 4 de Dezembro pelas 17h30 na Sede da Ordem dos Arquitectos, em Lisboa, e oferece um exemplar deste documento a cada participante.

Ao mesmo tempo será inaugurada uma exposição de trabalhos relativos ao Prémio Pladur® 2017. O desafio proposto pela Pladur® aos alunos na 27ª edição do seu concurso Ibérico, que conta anualmente com a participação de várias Universidades de Arquitectura de Espanha e Portugal, foi desenhar espaços habitáveis nas Ilhas do Porto, partindo de espaços de habitação multifamiliares que se desenvolveram dentro dos lotes ou nos pátios traseiros das casas da classe média, com um acesso comum a partir da rua, mas totalmente invisível para aqueles que viajam na cidade.

As Ilhas do Porto são lugares de residência de muitos habitantes do centro da cidade, em particular das classes sociais com escassos recursos, de interpretação controversa, mas absolutamente relevante quando se trata da reabilitação urbana. A sua origem prende-se com as mudanças sociais trazidas pela Revolução Industrial e foram atraídas à cidade pelos empregos fabris, onde as famílias se instalavam nestes domicílios exíguos e improvisados, com uma tipologia comum, um corredor ladeado por construções, ao qual se acede por um discreto portão.

Esta proposta desenvolvida sob o lema “REABILITAR PARA HABITAR” teve por objectivo a recuperação e adaptação de uma zona em desuso na cidade, assim como dar resposta às necessidades habitacionais existentes de comunidades desfavorecidas na zona da ilha proletária nº 10, Bairro de São Vítor, no Porto.

Longe de criarmos uma solução definitiva para os problemas complexos das Ilhas do Porto, consideramos que esta iniciativa é uma contribuição para definir de forma mais completa a originalidade e a qualidade dos elementos que se devem manter para assegurar a permanência da memória viva e do património de uma comunidade e um desafio à criatividade dos futuros arquitectos através da elaboração de uma proposta de um espaço arquitectónico habitável composto por 16 unidades habitacionais, uma zona comum de uso polivalente e espaços verdes para uso da comunidade (hortas urbanas).



Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

mais

 

VAILLANT A
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA