outras oportunidades
-
Procura-se consultor para projecto "Co-gestão, conservação, manutenção e valorização de património público"
12.07.2017
O UE-PAANE- Programa de apoio Aos Actores Não Estatais, a ser implementado na Guiné-Bissau há 6 anos através do apoio da União Europeia, encontra-se a contratar uma consultoria para a implementação da acção de reforço de capacidades no âmbito do seu gabinete de apoio permanente.

As candidaturas, incluindo uma proposta técnica e proposta financeira, deverão ser entregues até ao dia 24 de Julho de 2017 através de correio electrónico para endereço uepaane@imvf.org, com a referência: UE-PAANE/ Co-gestão, conservação, manutenção e valorização de património público.

Mais sobre o programa podem ser consultadas no seu site: http://www.ue-paane.org/ ou no documento anexo.

Contexto do Projecto UE-PAANE Fase di Kambansa

O Projecto UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais “Nô Pintcha pa Dizinvolvimentu” − Fase di kambansa (em adiante UE-PAANE Fase di Kambansa) visa dar continuidade ao longo de 24 meses ao programa financiado pela União Europeia na Guiné-Bissau UE-PAANE - Programa de Apoio aos Actores Não Estatais “Nô Pintcha pa Dizinvolvimentu” (www.ue-paane.org) que decorreu desde Maio de 2011 até Julho de 2016.
Tratando-se duma continuidade do programa UE-PAANE, o projecto UE-PAANE Fase di Kambansa irá manter o objectivo geral de contribuir para a consolidação da boa governação através do seu objectivo específico: o reforço da participação, concertação e capacidade de influência das Organizações da Sociedade Civil e Órgãos de Comunicação Social da Guiné-Bissau.

OBJECTIVOS

- Melhorar a capacidade da organização na identificação, classificação e compilação da informação do património público;
- Melhorar a capacidade de relacionamento institucional da organização com as instituições públicas, mais concretamente o Secretariado Nacional do Património;
- Melhorar a capacidade para estabelecer sinergias/parcerias com outras entidades (organizações que trabalham na mesma área temática; Universidades; organizações sub-regionais; …);

- Dotar a organização de estratégias de lobby para impulsionar a criação de leis sobre o património público;
- Munir a organização de mecanismos para melhorar as mensagens de sensibilização que dirige aos cidadãos, promovendo assim um maior envolvimento da sociedade na defesa dos bens públicos.


ACTIVIDADES ESPECÍFICAS

Conceber e administrar um módulo de formação sobre “Co-Gestão, Conservação, Manutenção e Valorização de Património Público”;
Aplicar aos formandos um pré-teste e um pós-teste de modo a avaliar o nível de conhecimentos sobre as temáticas abordadas;
Aplicar aos formandos uma avaliação final sobre a acção de formação, que será disponibilizada pelo projecto;
- Redigir um relatório da prestação de serviços, com especial enfoque para os resultados atingidos com a formação, os pontos positivos e negativos, as lições aprendidas e recomendações, cujo modelo será disponibilizado pelo projecto. Este relatório deverá apresentar ainda uma análise dos resultados do pré-teste e pós-teste assim com uma série de recomendações específicas para a melhoria da performance da organização.


PERFIL DO/A CONSULTOR/A

Habilitações e competências

- Formação Universitária em área relevante;
- Preferência por pós-graduação ou mestrado numa área relevante para o presente contrato;
- Preferência por Certificado de Formação de Formadores.

Experiência profissional

- Experiência de trabalho na área de gestão, conservação e manutenção do património público de pelo menos 5 anos;
- Experiência de formações na área;
- Preferência por conhecimentos de estratégias de lobby e advocacia;
- Experiência em formação de OSC será uma mais-valia;
- Conhecimento do contexto e das OSC da Guiné-bissau será uma mais-valia;
- Conhecimento do contexto de funcionamento das entidades públicas da Guiné-bissau será uma mais-valia.

Outras competências

- Capacidade de análise crítica de problemas e de apresentar soluções sólidas;
Forte capacidade para trabalhar em equipas multidisciplinares;
Autonomia e dinamismo para a execução das actividades pelas quais é responsável;
- Domínio da língua portuguesa;
- Conhecimento do crioulo é uma mais-valia;
- Domínio de informática (word, excel, power point, internet) ao nível de utilizador;
- Domínio na criação e gestão de base de dados é uma vantagem;
- Capacidades de trabalho nas localidades com condições limitadas

Documentos

Subscrever E-Newsletter



 

BA

JA

mais

 

Encontre um Arquitecto
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA
HOMEING