prémios mies van der rohe
-
Mies van der Rohe Award 19. Candidaturas até 13 de Agosto
12.07.2018
Esta edição do Prémio de Arquitectura Contemporânea da União Europeia (European Union Prize for Contemporary Architecture) considera obras concluídas entre 1 de Janeiro 2017 e 31 de Dezembro 2018.

Os arquitectos que pretendam participar do processo de selecção, podendo integrar uma das cinco nomeações que a Ordem dos Arquitectos foi convocada a apresentar, devem enviar os elementos solicitados na ficha disponível abaixo para dp@ordemdosarquitectos.pt até ao final do dia 13 de Agosto.

As obras apresentadas serão avaliadas por um Júri que o CDN constituiu para fundamentar as cinco nomeações que se propõe apresentar dentro do calendário, até dia 24 de Agosto.


Como é que os arquitectos exercem a profissão na Europa nos nossos dias?

O contributo de cada uma das obras para a construção da cidade assume maior importância que a sua dimensão ou programa; neste sentido, o Prémio, promovido pela Comissão Europeia e organizado pela Fundació Mies van der Rohe, ambiciona ser uma plataforma de investigação, desenvolvimento e implementação de uma prática arquitectónica sustentável que promova os benefícios de um crescimento social, cultural e económico sustentável.


Em cada edição bienal, o Júri distingue duas obras, não existindo prémios ex-aequo nem a possibilidade de o Prémio não ser atribuído, de entre as nomeações apresentadas pelas organizações profissionais-membros do Conselho dos Arquitectos da Europa, outras associações profissionais, um grupo de peritos e uma Comissão de Assessores.

O Júri elege ainda um conjunto de obras exemplares – premiados, finalistas e seleccionados – que são publicadas no catálogo de cada edição do Prémio e integram uma exposição itinerante.

De entre os seus objectivos principais, reconhece a excelência no domínio da Arquitectura e sublinha o contributo dos profissionais europeus para o desenvolvimento de novos conceitos e tecnologias.

Desde 2001, edição em que adoptou a designação de “Prémio da União Europeia”, a menção especial Arquitecto Emergente reconhece a obra dos profissionais mais jovens no início do seu percurso profissional. O arquitecto emergente tem até 40 anos e é autor de, no máximo, um outro projecto à data da conclusão da obra candidata, ou seja, apresenta a sua primeira ou segunda obra construída.

Recorda-se que a primeira edição do Prémio teve lugar em 1988, distinguindo a dependência do Banco Borges e Irmão, em Vila do Conde, de Álvaro Siza.

Apresente a sua candidatura, preencha a ficha, junte até seis desenhos e seis fotografias e envie para dp@ordemdosarquitectos.pt até ao final do dia 13 de Agosto.

O Júri, designado pela Ordem reúne até 20 de Agosto e os nomeados são informados até 24 de Agosto, com o envio da documentação para o Secretariado do Prémio.


Toda a informação sobre o Prémio está disponível aqui.


Documentos

Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

mais

 

VAILLANT B
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA