notícias da OA
-
ENCERRAMENTO DMA'14 . Membros Honorários
17.10.2014
30 de Outubro
18h30
Sede Nacional da Ordem dos Arquitectos
- Considerando a tradição em outorgar, no quadro das celebrações nacionais do Dia Mundial da Arquitectura, o Estatuto de Membro Honorário a pessoas singulares ou colectivas em razão de importantes contribuições no âmbito dos objectivos estatutários da Ordem;

- Considerando o respeito pela lógica associativa, o processo de revisão estatutária anterior e a adequação estatutária em curso bem como as recomendações decorrentes de Conselho Nacional de Delegados e de membros da Ordem dos Arquitectos(OA);

Atribui-se em 2014 o título de Membro Honorário a:

a) Arqtº Luiz Sarmento de Carvalho e Cunha (Lisboa, 1933)
por proposta de membros devidamente identificados que sublinham a sua “originalidade, liberdade e elevado mérito do conjunto da sua actividade profissional”;

e

b) Arqtº Manuel Correia Fernandes (Espinho, 1941)
Foi dirigente da AAP (1984/1986; 1987/1989; 1990/1992) e, na Ordem dos Arquitectos, Presidente do Conselho Nacional de Disciplina (2006/2008) e Presidente da Mesa da Assembleia-Geral (2009/2011).
Em 1972 começou a leccionar na ESBAP, depois FA-UP, até 2009. Nestas escolas foi membro e presidente eleito dos conselhos Directivo, Científico e Pedagógico e da Assembleia de Representantes. Em 2010, na qualidade de professor catedrático aposentado, deu a sua última aula, intitulada "Viagem", no Auditório Fernando Távora da FA-UP.
Recebeu, entre outros, o Prémio Nacional de Arquitectura da Associação dos Arquitectos Portugueses, em 1987, e o grau de Grande Oficial da Ordem de Instrução Pública, em 2005.
É vereador da Câmara Municipal do Porto.

c) Arqtº Pedro Brandão (Lisboa, 1950)
Foi presidente da Associação dos Arquitectos Portugueses (1993-1995) na sequência do desempenho de diversos cargos directivos, designadamente o de Secretário do CDN e Presidente do Conselho Directivo Regional do Sul, desde a década de 1980. Foi presidente da Comissão de Ética do Conselho dos Arquitectos da Europa (1992-1993).
Coordenou a produção do “Livro Branco da Arquitectura e do Ambiente Urbano”.
Doutorado em Espaço Público e Regeneração Urbana (Universidade de Barcelona, 2005) é, actualmente, professor auxiliar do Mestrado Integrado em Arquitectura do Instituto Superior Técnico e professor visitante da Universidade de Barcelona.
É secretário-geral da Associação Europan Portugal.

d) Arqtª Olga Quintanilha (Lisboa, 1942-2005) (a título póstumo)
esta proposta é reforçada por recomendação do Conselho Nacional de Delegados (2009/2011), que sublinha “o percurso pessoal, profissional e associativo da Arquitecta Olga Quintanilha, designadamente na condução do processo de criação da Ordem dos Arquitectos”.

e) Arqtº Vasco Massapina (Lisboa, 1947-2012) (a título póstumo)
Foi Presidente do Conselho Directivo Regional Sul da Associação dos Arquitectos Portugueses (1993/1995) e Vice-presidente do Conselho Directivo Nacional da Ordem (1996/1998).
Integrou o Conselho Superior de Obras Públicas e Transportes, tendo sido presidente da 3.ª Secção - Urbanismo e Edifícios, membro da direcção da Federação Internacional de Urbanismo e Ordenamento do Território e eleito para o respectivo Bureau executivo e, em representação do Governo, perito do Comité Consultivo para a Formação no Domínio da Arquitectura na União Europeia.
Recebeu a Medalha do Colégio Oficial de Arquitectos de Madrid em 1995 e foi professor auxiliar convidado da FA-UTL de 1997 a 2002 onde leccionou a cadeira de Urbanismo II.
Foi vogal do Conselho Consultivo do Instituto Português do Património Arquitectónico, IPPAR.
Para além de diversos escritos, é autor de "O Risco do Arquitecto, Interesse Público e Autonomia da Profissão".

f) Vasco Morais Soares (Porto, 1940)
Entre 1975 e 2000, assume funções directivas na Associação de Arquitectos Portugueses, tendo sido Presidente do Conselho Directivo Regional do Norte no triénio 1987-1989, depois de ter integrado as direcções dos quatro mandatos anteriores. Destaca-se o facto de ter sido, no mandato 1993-1995, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral que coordenou a revisão estatutária e organizou o referendo à classe no que concerne a designação de “Ordem” e a votação do seu Estatuto.
Forma-se em arquitectura pela Escola Superior de Belas Artes do Porto em 1971. Entre 1971 e 1975, trabalha no Gabinete de Obras Públicas de Luanda, onde desenvolve projectos de Arquitectura e Urbanismo. Regressado a Portugal, dá continuidade como profissional liberal ao gabinete de seu pai, entretanto falecido.

c) Waldemar José Valente de Sá (Porto, 1930)
Arquitecto, pela sua exemplaridade profissional e pela intensa participação nas actividades da OASRN, incluindo na elaboração do presente estatuto, emergindo como uma referência entre pares, como um exemplo de dedicação e compromisso com a Ordem dos Arquitectos que deverá ser apanágio de todos os membros. Este reconhecimento é um gesto de reciprocidade, em forma de agradecimento da OA, e de valorização do percurso profissional, cívico e associativo que desejamos que seja replicado.


A estes seis colegas, pelo reconhecimento de uma generosa e continuada actividade associativa, desde a Associação dos Arquitectos Portugueses até à Ordem dos Arquitectos. Os nomeados estiveram presentes no momento da consagração do estatuto de Associação Pública conferido à AAP em 1988 e promoveram o referendo em que os associados votaram a designação de Ordem e o novo estatuto, que veio a ser publicado em 1998. O seu desempenho em cargos dirigentes da organização profissional criou efectivas condições de possibilidade de transformar a AAP em OA.

Por outro lado, Vasco Massapina e Pedro Brandão integraram a Comissão Executiva dos Banhos de São Paulo, responsável pelo processo de instalação da sede nacional no edifício dos Banhos de São Paulo, há precisamente 20 anos.


OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA