outras notícias
-
Guia para trabalhar internacionalmente
17.05.2019


A Ordem dos Arquitectos divulga dois documentos em que colaborou, através da sua participação no grupo de trabalho do Conselho dos Arquitectos da Europa de internacionalização e novos modelos de negócios, co-financiado pelo Programa Europa Criativa.

Este guia visa auxiliar os arquitectos e os seus escritórios a desenvolver oportunidades de negócios internacionais e garantir o sucesso a longo prazo, adoptando uma abordagem estratégica para as suas empresas nos novos mercados.

Embora produzido pelo CAE e em contexto Europeu, este guia poderá ser, igualmente, valioso para todos os arquitectos que desejam internacionalizar os seus serviços, onde quer que estejam. Alguns dos serviços elencados neste guia são específicos da UE, mas os princípios são universais.

Para o CAE, é importante que os arquitectos assumam o controle das suas actividades internacionais, primeiro identificando os países que oferecem os melhores mercados potenciais para seus serviços e, segundo, desenvolvendo uma estratégia para introduzir-se nos países que oferecem a melhor oportunidade de sucesso.

Este guia apresenta uma estrutura para a apresentação de serviços de arquitectura relacionados com o mercado internacional.
O Guia é relevante para todos os tipos de interessados, independentemente da experiência que se tenha a trabalhar a nível internacional, desde os que embarcam no seu primeiro projecto internacional até às práticas mais experientes que desejam melhorar o desempenho dos seus negócios.

Seguindo o processo aqui exposto, não só ajudará a maximizar o retorno dos investimentos, mas também garante que a experiência em trabalhar com parceiros internacionais poderá ser agradável e interessante.

A orientação é apresentada em seis secções, detalhando os principais elementos de internacionalização dos serviços, por forma a ajudar a estruturar melhor a estratégia de internacionalização:
1 Porquê internacionalizar?
2 Estará preparado para exportar?
3 Pesquisa dos mercados internacionais
4 Planeamento e entrada nos mercados
5 Finanças / Plano de negócios
6 Informação útil.

De referir que as notas e conselhos deste Guia não têm por objectivo serem definitivos ou exaustivos. Cada escritório, atelier e mercados são únicos, com as suas próprias competências, conhecimentos e especificações.

Este Guia foi concebido como uma estrutura para estimular a reflexão e tomada de decisão dos interessados.

COMPROMISSO
Embora pareça óbvio, como uma etapa inicial, é essencial confirmar que todos envolvidos estão totalmente comprometidos em garantir o sucesso nas três áreas-chave a seguir quando se pretende enveredar para a internacionalização:
• Gestão – trabalhar a nível internacional apresenta maiores desafios do que trabalhar no mercado nacional, assim sendo, toda equipa deve estar totalmente comprometida em torná-lo um sucesso.
• Serviço - cada mercado internacional é diferente e os mercados mudam, desta forma, é exigido uma adaptação na abordagem e concentração na obtenção dos serviços de primeira linha.
• Capacidade / Recursos – os interessados devem certificar-se de que os seus escritórios possuem capacidade de produção, gestão e financeira para darem resposta às exigências das entregas de projectos internacionais.


Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

Newsletter JA

mais

 

OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA