concursos internacionais
-
Ivo Henriques e Florencia Finsterwald Grieco ganham concurso para a Câmara de Barcelona
05.12.2014
O arquitecto Ivo Henriques e a arquitecta Florencia Finsterwald Grieco ganharam um concurso para a Câmara de Barcelona com um projecto de um Centro Cívico que se encontra neste momento em fase de projecto de execução.

A Câmara de Barcelona através da entidade BIMSA convocou um concurso para um centro cívico no Bairro de “Sant Andreu”, zona que está a ter um grande desenvolvimento em nível de infraestructuras
nomeadamente o comboio de alta velocidade.
Como ponto de partida exigia-se a reabilitaçäo do edificio existente construído nos finais do séc.XIX e que caracteriza pelo seu estilo neoclassico. Além disso também havia que ampliar a área existente
com uma nova edificação.
Este novo espaço para a cidade deveria funcionar como um lugar de reunião, de eventos culturais e de aulas ou cursos de ocupação.
Depois de estudar as necessidades do programa e os critérios exigidos por parte da administração a proposta de concurso foi desenvolvida tendo em conta os seguintes pontos:


INTEGRAÇÃO

A proposta tem como intenção, criar um edifício que se integre no lugar, com uma nova função e que seja uma referência para os habitantes do bairro de “Sant Andreu” logrando uma nova imagem para o novo edifício proposto.

Como?
Recuperando a imagem original do edificio neoclássico e de maior peso, contrastando com o novo edifício/ ampliação. Este último deveria ser como um filtro, que transmitisse uma maior transparencia. Estas
intenções por oposiçäo transparencia versus peso tinham como intenção realçar a diferença entre uma linguagem do passado e do presente.
Recuperando a imagem original como um postal do passado, o novo edifício proposto caracteriza-se por uma imagem que se constrói através de uns elementos verticais que säo fachada e estrutura ao mesmo tempo (madeira por oposiçäo à pedre).
Esta fachada é a que controla a luz solar proveniente de Sul e a estrutura que permite um vão de maiores dimensões que suporta a cobertura da nova sala polivalente e o novo espaço exterior para a cidade de Barcelona.

Parte da proposta também passou por desenhar um novo espaço público. Este deveria funcionar como um espaço de transiçäo entre exterior e interior. O novo espaço urbano serviria de apoio às actividades realizadas dentro do Centro Cívico. Propos-se por isso um
banco cujo desenho integrasse vegetaçäo – sombra e zonas de descanso / convívio.

EMISSÕES ZERO

Devem ser recuperados os conhecimentos e as técnicas passivas tradicionais. Por isso, o edifício procura reduzir as necessidades energéticas. Não só na sua utilização, mas em todas as fases da vida útil da construção.

Sustentabilidade

A reabilitação do edifício realiza-se com a intenção de reduzir os custos da mesma. Propõe-se melhorar o seu isolamento térmico, sobretudo em nível das fachadas no interior do edifício existente, para diminuir a exigência anual de calor, minimizando o consumo dos equipamentos de ar condicionado.

Materiais

Uso de materiais renováveis, como o bambu e, orgânicos como é o caso do pinho de Flandes. Isto implica uma melhora na construção a seco criando menos resíduos durante a construção.
Ventilação cruzada e iluminação natural

Sistemas activos

As soluções passivas complementam-se com um sistema de
instalações que permitem emqualquer momento um ajuste do nível de actividade do edifício.
Este sistema permite um controlo da iluminação, do ar condicionado e da ventilação, com um sistema SCADA, através de sensores que controlam os níveis de luz, a temperatura e a concentração de contaminantes permitindo dar uma melhor resposta às necessidades do
edifício.

RACIONALIDADE CONSTRUTIVA E ECONÓMICA

Como podemos fazer com que a estrutura assuma um maior
protagonismo num edifício sem que se converta num custo
desnecessário?
Já que a estrutura do edifício existente se encontra em mau estado, propõe-se tanto para o este como para a ampliação que seja de madeira maciça laminada.

Vantagens:
- Estrutura vista sem ter que dar qualquer tipo de acabamento
- Corretamente dimensionado não necessita de proteção contra incêndios
- Acusticamente tem um comportamento óptimo
- É uma estrutura muito leve o que implica um custo menor em nível de mão de obra
- Construçäo em seco: maior rapidez e duração mínima das obras
- Trata-se de um tipo de construção urbana sustentável, devido à utilização de materiais que implicam um baixo consumo de CO2



Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

JA PDF

Newsletter JA

mais

 

VOLCALIS
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA