outros prémios internacionais
-
Concurso Living in Borneo - AWR. Amsterdão. Menção Honrosa para equipa de Humberto Conde
10.10.2013
MEMÓRIA DESCRITIVA

Borneo Sporenburg| Num bairro cujo desenho de um grupo de habitações unifamiliares foi pensado como um todo, procurando melhorar não só a qualidade de vida individual mas também social dos habitantes de Amesterdão, ressalta a necessidade de privilegiar o espaço público como um local de encontro e desenvolvimento de actividades em comunidade.

Conceito| Com a proposta RUG[ED] COAST pretende-se rematar a frente de água inserida numa das plataformas de Borneo Sporenburg através de um tapete verde que unifica o espaço público com o espaço privado, numa simbiose de transição em direcção ao elemento natural: a água.

Implantação| Na continuidade do desenho do plano urbano do atelier West 8, surge a proposta de um edifício de habitação unifamiliar, implantado na extremidade da plataforma. Funcionando como um remate da massa construída, o edifício faz a transição para o elemento natural, elegendo-se como um marco escultural nesta frente de água. Posicionado de forma a desimpedir as vistas dos edifícios preexistentes, usufrui de quatro fachadas que se abrem ao exterior por meio de pátios verdes, respondendo ao jogo de meios pisos ascendeste que define os espaços interiores e culmina num terraço ajardinado.

Volumetria| Com o intuito de criar uma paisagem urbana capaz de dinamizar as vivências do bairro, aspirou-se a um misto de espaço construído e espaço natural. Através da análise das pré-existências identificaram-se pontos de forte presença na geometria da malha, a partir dos quais se desenvolveu um jogo de inflexões, ao longo de todo o manto verde que cobre o espaço público e agarra o edifício de habitação.

Programa: espaço público| O projecto de utilização pública contempla, portanto, dois níveis: uma área verde na continuidade do nível da rua e uma doca, ao nível da água, que se desenvolve no nível inferior. O pano verde superior é marcado por inflexões que conduzem os utilizadores na descoberta de diferentes cotas, enfiamentos visuais e ambientes. Funcionando como um contínuo espaço de permanência, ao longo do qual surgem diferentes vegetações e mobiliário urbano, distribuem-se actividades como estacionamento de bicicletas, um parque infantil e um anfiteatro que se camuflam na atmosfera da paisagem verde. A relação entre este piso e o inferior é feita através de aberturas circulares que funcionam como pontos de luz e pontualmente como acessos, assim como definem o desenho do programa proposto.

Por sua vez, o patamar ao nível da água dá lugar à doca de atracagem dos barcos, assim como alberga algumas actividades complementares, tanto um espaço de apoio à pratica de desportos náuticos, como zonas de restauração, ou áreas de comércio e espaços de estada. Cria-se um ambiente introspectivo e de reflexão pelo enquadramento visual exclusivamente direccionado para a paisagem marítima.

Programa: habitação | O acesso ao edifico faz-se lateralmente, à cota da rua, onde a entrada da garagem e entrada pedonal se encontram justapostas e permitem o acesso ao hall de entrada. Este, por sua vez, ora distribui para o nível superior, ora para o nível inferior que compreende a cozinha, uma zona de refeições, uma sala de estar e uma instalação sanitária, sendo que este piso dá acesso directo à plataforma da doca, onde estará atracado o barco próprio. A transição para a zona mais íntima da casa é feita a partir do hall, desenrolando-se num jogo de open-space em meios pisos que conferem o desenho de cada divisão. Do acesso do hall ao piso superior encontra-se um quarto com uma instalação sanitária e, no nível seguinte, outro quarto. De seguida, surge um escritório associado a uma biblioteca e espaço de leitura no patamar seguinte, dando finalmente, acesso ao terraço ajardinado. Todos este níveis são iluminados por pátios verdes exteriores, que numa leitura de fachada apresentam um jogo de aberturas vegetais circulares, na continuidade das entradas de luz do manto público.

Tecnologia verde | No âmbito da materialidade, a intervenção ganha forma em betão sendo a plataforma pública revestida num imenso espaço verde que se dobra, tornando-se a fachada sul do edifício, num sistema de fachada dupla. A intervenção é eficiente no âmbito da sustentabilidade pelo optimização da luz natural e da ventilação cruzada combinada com espaços exteriores verdes. Faz, ainda, o aproveitamento das águas da chuva, tal como a dessalinização da água do mar que é conduzida para as torneiras e para a rega. A presença de painéis solares permite fazer o aquecimento das águas através de uma bomba de calor, assim como armazenar energia eléctrica. Este sistema desenvolve-se separadamente para o espaço público e para o edifício de habitação privado.


Ficha Técnica Projecto

Nome do Projecto
“RUG [GED] COAST”

Tipo de Projecto
Concurso – L.I.BO. Living in Borneo – Amsterdam – AWR Competitions (www.awrcompetitions.com)

Localização
Amesterdão, Holanda

Arquitecto Autor
Humberto Conde (HRA-Lisboa) (www.humbertoconde.com)

Colaboradores
Joana Alvarez, João Almeida, Sara Carnide

Promotor do concurso
AWR (www.awrcompetitions.com)

Distinção
Menção honrosa

Data
2013

Área bruta de construção
2252 m²





OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA