outros prémios nacionais
-
52 projectos finalistas de norte a sul de Portugal disputam Prémio Nacional de Reabilitação Urbana
06.03.2015
A organização do Prémio Nacional de Reabilitação urbana já apurou os finalistas que se candidataram à 3ª edição desta iniciativa, num total de 52 projectos localizados em 18 concelhos de Portugal, abrangendo desde o Minho ao Algarve. Face à edição de 2014, esta 3ª edição do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana registou um incremento de cerca de 15% no número de projectos candidatos e, ao longo das três edições, já são cerca de 130 os projectos que disputam o galardão.

O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana é organizado pela Vida Imobiliária e pela Promevi, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e distingue, anualmente, os melhores projectos de reabilitação urbana em Portugal, abarcando quer intervenções em edificado quer em espaço público, e contemplando iniciativas públicas e privadas. A iniciativa conta também com o Alto Patrocínio do Governo de Portugal, concedido através da Secretaria de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza. Na sua 3ª edição, o galardão será este ano entregue a 15 de Abril, numa cerimónia que decorrerá no Palácio Nacional de Queluz e que integra a agenda de eventos paralelos da II Semana da Reabilitação Urbana Lisboa.

Para António Gil Machado, Diretor do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, “por um lado, esta abrangência geográfica mostra que a reabilitação urbana não se limita apenas às duas principais cidades e que o próprio Prémio já conquistou uma expressão nacional. Além disso, o número elevado de candidaturas é uma prova incontestável de que reabilitar é uma actividade que deixou de ser residual e é agora generalizada. Significa que há um pipeline dinâmico de projectos de reabilitação a serem concretizados, já que todos os anos o número de candidaturas tem crescido e com a ressalva de que projectos candidatos em anos anteriores não podem voltar a candidatar-se. Da nossa parte, estamos extremamente orgulhosos de ampliar o eco dos trabalhos de reabilitação e contribuir para que todos os que se envolvem nestes projectos possam ser devidamente reconhecidos”.

A habitação continua a ser o principal alvo de reabilitação urbana, com este segmento a receber 19 das 52 candidaturas na edição de 2015, seguindo-se o uso turístico, com 15 projectos a concorrer. No comércio & serviços foram dez os projectos candidatos e as intervenções com impacto social concentram os restantes oito. Em termos de dimensão, cerca de 58% dos projectos submetidos (30) apresentam áreas inferiores a 1.000 m e os restantes 42% mais do que 1.000 m.

Recorde-se que decorreu até 20 de Fevereiro a fase de pré-candidaturas, após a qual foram validadas todas as candidaturas que obedeciam aos requisitos regulamentares, estando actualmente em curso o período de entrega da documentação completa dos projectos finalistas, o qual termina a 16 de março. Caberá posteriormente ao Júri decidir sobre os vencedores, sendo o painel constituído por cinco personalidades independentes de incontestável prestígio em áreas como a economia, arquitetura, engenharia e imobiliário e que inclui os arquitetos João Carlos Santos e de João Pedro Falcão de Campos, o economista Augusto Mateus e os engenheiros Vasco Peixoto de Freitas e Manuel Reis Campos.

Os vencedores são divulgados a 15 de abril nas diversas categorias a concurso e que incluem projectos de reabilitação urbana de habitação, comércio & serviços, turismo e equipamentos sociais. Dado ser Lisboa a cidade anfitriã do Prémio, está também prevista uma distinção para o melhor projecto de reabilitação urbana nesta cidade. Serão ainda reconhecidos com menções honrosas, o melhor projecto de reabilitação com área inferior a 1.000 m, a melhor intervenção de restauro e o projecto com a melhor solução de eficiência energética.

O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana apresenta este ano diversas novidades, incluindo a atribuição do Alto Patrocínio do Governo de Portugal e foram também já anunciados novos apoios institucionais que se estreiam na iniciativa, como são os casos da Ordem dos Arquitectos e da União das Misericórdias Portuguesas, que se juntam assim ao InCi, à CPCI e à AHP. No âmbito empresarial são também várias as empresas que se associam ao Prémio Nacional de Reabilitação Urbana. Nos patrocínios platina, associam-se, uma vez mais, a Schmitt+Sohn Elevadores, a Aguirre Newman, a Adene e a Caixa Geral de Depósitos, enquanto que nos patrocínios ouro, volta a associar-se a Revigres e estreia-se a Sanitana. O Prémio tem como Jornal Oficial o Público. A Luz e Som é parceira no apoio cenográfico.


52 Candidaturas recebidas em 2015

DISTRIBUIÇÃO POR CATEGORIA:
Residencial: 19 projectos
Turismo: 15 projectos
Comércio & Serviços: 10 projectos
Impacto Social: 8 projectos

DISTRIBUIÇÃO POR DIMENSÃO/ÁREA
Área inferior a 1.000 m: 30 projectos
Área superior a 1.000 m: 22 projectos

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA
Lisboa: 18 projectos
Cascais /Estoril e Sintra: 4 projectos
Porto: 11 projectos
Ponte Lima: 4 projectos
Outras localizações: Alpiarça (1), Barcelos (1), Braga (2), Évora (1), Guarda (1), Marinha Grande (1), Matosinhos (1), Portalegre (1), Povoa do Varzim (2), Tavira (1), Torres Vedras (1), Viana do Castelo (1), Viseu (1)


Breve CV dos membros do Júri
Projectos vencedores da edição 2014
Mais informações


OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA