Arquitectos apelam à preservação de casas modernistas de Luiz Alçada Baptista
21.04.2010
O presidente da Ordem dos Arquitectos defendeu ontem, durante uma visita à Tapada do Dr. António, na Covilhã, que a destruição das duas casas modernistas da autoria do arquitecto Luiz Alçada Baptista e de um sistema hidráulico oitocentista singular existentes nesta propriedade seria "uma extraordinária perda". À sua voz juntaram-se as de outros profissionais, que defendem a classificação daquele conjunto pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar).

O que ameaça as casas e o antigo sistema de abastecimento de água aos campos e pastagens é a Barragem da Ribeira das Cortes, que a Câmara da Covilhã pretende construir para o abastecimento de água ao concelho. Para a barragem começou por ser estudada uma localização alternativa - abandonada devido à existência de uma licença de produção de energia hidroeléctrica atribuída à Águas do Zêzere e Côa.

"Havendo uma alternativa, é completamente anacrónico estar-se a pôr em causa" este conjunto, considerou o presidente da Ordem dos Arquitectos, adiantando que recentemente pediu à ministra da Cultura a preservação deste património. "É um espaço absolutamente extraordinário", defendeu João Belo Rodeia, lembrando "o conjunto notável de pessoas" que já defenderam a sua classificação pelo Igespar, entre as quais se incluem profissionais de diferentes áreas como Ana Tostões, Siza Vieira, Gonçalo Byrne, Nuno Portas, Guilherme d"Oliveira Martins e Rui Vilar.

Protecção é "fundamental"

Francisco Aires Mateus, por seu lado, considera "fundamental" classificar os elementos patrimoniais presentes na Tapada do Dr. António, até "do ponto de vista didáctico". Isto porque, explicou o arquitecto, se trata de "um excelente exemplo de um conjunto paisagístico e arquitectónico". A sua classificação constituiria "um sinal de que se começaria a entender o património de outra maneira", não enquanto mero somatório de "objectos isolados".

Ontem, a Ordem dos Arquitectos realizou uma visita guiada àquelas construções, com cerca de 30 participantes. A iniciativa foi da secção regional do sul da ordem, no dia em que se assinalou o Dia Internacional de Monumentos e Sítios, este ano dedicado ao tema Património Rural/Paisagens Culturais.

As duas moradias modernistas de António Alçada Baptista, uma das quais ligada às obras de José Cardoso Pires e palco de reuniões políticas durante o Estado Novo, o sistema hidráulico de meados do século XIX - usado para abastecer campos agrícolas e de pastoreio - constituem, no seu conjunto, "um bom sítio para se perceber o que é um sítio", afirmou Leonor Cintra Gomes, presidente da secção sul da ordem, referindo-se à Tapada do Dr. António, uma propriedade da família Alçada Baptista a curta distância das Penhas da Saúde. Se a isto somarmos um vale que se desenvolve em terraços, usado pelo gado que periodicamente se transladava entre a Estremadura espanhola, o Alentejo e a serra da Estrela, completa-se o cenário do que se perderá se ficar submerso.

OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA